quarta-feira, 29 de março de 2017

INVERSO DA METADE

O inverso é o que tenho de sóbrio
Nele reconheço o que é teu
Nele, todo o devaneio
Nele, nada é meu.

E, de fato, toda a filosofia
De ser algo que de algo é metade
Faz dessa imensa agonia
A única verdade por trás da verdade:

Metade de mim é o reverso do teu verso.
A outra metade, teu direito e teu avesso.
O que sobra de meu, é quase nada.
E o inverso...


Fabiana Gusmão, em 29 de março de 2017.
Imagem do Google

SINA

Tela do artista Romeu Ferreira de Vitória da Conquista - BA
O povo,
o brado,
ensina.

A seca,
a fome,
a sina.

A cuia,
o nada,
e só.

A corda
vazia,
um nó.

O chão,
rachado,
vermelho.

O rosto,
vincado
no espelho.

O caminho,
a fuga,
o pó.

A história
ceifada,
que dó!

Fabiana Gusmão, 26 de março de 2017.







A DOR


A dor do amor
é a saudade

A dor do riso
é o choro.

A dor do grito
é o silêncio.

A dor do tempo
é o relógio.

A dor da ferida
é o remédio.

A dor da esperança
é o desespero.

A dor da vida
é a morte.

A morte...

Precoce e impiedosa!
Ninguém viu que chegava...
Carregou pelas mãos,
Quem à mão carregava...

Fabiana Gusmão Rocha, em 28 de março de 2017.


 
Imagem do Google

SOBRE CRIAR