quarta-feira, 2 de abril de 2014

INSANIDADE




















Insanidade,
essa minha irmã-companheira,
minha estrela e guia,
redoma de ilusões...
Ao seu lado,
percorro a minha trilha;
atreladas mãos,
voo onde o chão se perde;
por teus olhos,
enxergo na vida, o sonho
e por sonhar, faço de ti um ideal...
...
De ti... que os meus olhos não veem,
Que os meus lábios não tocam,
Que a minha pele não sente,
Mas que explode dentro de mim!

Fabiana Gusmão, 02 de abril de 2014.

3 comentários:

  1. Que lindo, que intenso! Quero esse amor para mim...

    ResponderExcluir
  2. Lí outros poemas teus passeando pelo blog, tecituras íntimas de muita beleza. "Estranho entardecer, quando sinto que anoiteço" é muito bom. Continuarei lendo. Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Maurício! Que bom que gostou! Fique à vontade! Abs

      Excluir