terça-feira, 13 de setembro de 2016

Poema em silêncio












Eu fiz um poema silencioso,
sem vez, sem mácula e sem voz.
Discreto, tímido, orgulhoso;
mas, sem palpite em vós

Calado por gosto,
escondido por bem;
morrerá em seu posto,
não verá a ninguém.

Eu fiz um poema jocoso,
poucos o compreenderiam;
em seu verso sinuoso,
muitos sucumbiriam.

Tímido, discreto, calado;
meu poema prefere morrer,
em silêncio completo e profundo,
à sombra do verbo esquecer.

Fabiana Gusmão


Nenhum comentário:

Postar um comentário